Thiago Flores intervém e novas atividades comerciais são retomadas em Ariquemes

Thiago Flores intervém e novas atividades comerciais são retomadas em Ariquemes

Após conversa entre Thiago Flores e Marcos Rocha Ariquemes passa para a fase 3 do Decreto estadual

Na manhã desta sexta-feira (15), Ariquemes saiu da fase 01 para a fase 03 do Decreto estadual nº 25.049, de 14 de maio de 2020, que trata da reabertura gradativa do comércio, no estado, durante a pandemia do novo coronavírus. A mudança ocorreu após a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU) comprovar que o município possui 25 leitos exclusivos para receber pacientes, seis destes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), todos instalados no Centro de Afecções Respiratórias (CAR), unidade criada para receber apenas pacientes da COVID-19.

Na prática, o Governo do Estado estabeleceu quatro fases de retomada gradativa do comércio, considerando a estrutura de atendimento para os infectados na rede municipal de saúde de cada um dos 52 municípios. Num primeiro momento, Ariquemes, Porto Velho e Guajará-Mirim foram colocados na fase 01, a mais rígida, em que apenas itens e serviços essenciais (alimentício e de medicamentos, por exemplo) poriam ser comercializados. 

Com a apresentação do relatório que comprova a estrutura municipal de saúde adequada para tratamento dos infectados e a publicação da Portaria Conjunta n° 8, de 15 de maio de 2020, da Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), o Município foi realocado para a terceira fase, que permite a abertura comercial seletiva, onde são permitidas todas as atividades COM EXCEÇÃO das constantes no Anexo III do Decreto Estadual, podendo ainda, serem alteradas conforme critérios sanitários, de saúde e econômicos.

Confira os novos segmentos de mercado que podem retomar as atividades a partir deste sábado (16), conforme as regulamentações do Decreto Municipal n° 16.484/2020: 

O QUE PODE FUNCIONAR?

1) açougues, panificadoras, supermercados e lojas de produtos naturais;
2)  atacadistas e distribuidoras;
3) serviços funerários;
4) hospitais, clínicas de saúde, clínicas odontológicas, laboratórios de análises clínicas e farmácias;
5) consultórios veterinários e pet shops;
6)  postos de combustíveis, borracharias e lava-jatos;
7) oficinas mecânicas, autopeças e serviços de manutenção em geral;
8)  serviços bancários, contábeis, lotéricas e cartórios;
9) restaurantes e lanchonetes localizadas em rodovias;
10) restaurantes e lanchonetes em geral, para retirada (drive-thru e take away) ou entrega em domicílio (delivery);
11) lojas de materiais de construção, obras e serviços de engenharia;
12) lojas de tecidos, armarinhos e aviamento;
13) distribuidores e comércios de insumos na área da saúde, de aparelhos auditivos e óticas;
14) hotéis e hospedarias;
15) segurança privada e de valores, transportes, logística e indústrias;
16) comércio de produtos agropecuários e atividades agropecuárias;
17) lavanderias, controle de pragas e sanitização; e
18) outras atividades varejistas com sistema de retirada (drive-thru e take away) e entrega em domicílio (delivery);
19) escritório de advocacia e corretoras de imóveis e de seguros;
20) concessionárias e vistorias veiculares;
21) restaurantes, lanchonetes, sorveterias e afins para consumo no local;
22) academias de esportes de todas as modalidades;
23) shopping centers, galerias e praças de alimentação;
24) livrarias e papelarias;
25) lojas de confecções e sapatarias;
26) lojas de eletrodomésticos, móveis e utensílios;
27) lojas de equipamentos de informática e de instrumentos musicais;
28) relojoarias, acessórios pessoais e afins;
29) lojas de máquinas e implementos agrícolas;
30)  centro de formação de condutores e despachantes;
31) salões de beleza e barbearias; e
32) atividades religiosas presenciais.

Todos devem obedecer às regras de higienização constante dos ambientes, distanciamento e lotação previstas nos Decretos Estadual e Municipal. Além disso, os funcionários devem utilizar equipamentos de proteção individual, bem como o uso obrigatório de máscaras para todos os clientes que acessarem as dependências. Está terminantemente proibida a entrada de crianças em qualquer dos estabelecimentos.

O QUE PERMANECE PROIBIDO?

a) casas de show, bares e boates;
b) eventos com mais de 10 (dez) pessoas;
c) cinemas e teatros;
d) balneários e clubes recreativos;
e) Instituições Educacionais;
f) circulação em praças e outros locais públicos.

Confira as regras específicas, como espaçamento de mesas, capacidade de lotação e outras para cada segmento comercial nos Decretos Estadual e Municipal, bem como na Portaria Conjunta, acessando os anexos abaixo.

Fonte: A Assessoria